Estamos vivendo uma era engraçada: a era do “Politicamente Natural”. Isso mesmo! Politicamente fora de moda, politicamente sem make, politicamente sem química no cabelo… São diversos tipos de politicamente.

Acho muito legal a ideia do “Aceite-se como você é”. Aliás, é bem mais que legal. É NECESSÁRIO!

Temos que estar feliz com aquilo que vemos no espelho, aquilo que somos ao acordar e ao dormir. Temos que nos amar e nos preferir à tudo e à todos. Sim, eu concordo.

Mas, como acontece com tudo hoje em dia, isso tomou proporções grandiosas!

A menina que usa maquiagem constantemente é artificial, a que não usa é desleixada. A que posta foto maquiada com o cabelo arrumado é fabricada, a que posta foto de cara limpa assusta todo mundo.

A campanha do #nofilter #nomakeup foi muito bacana, sério! Achei que descontraiu legal esse clima de “preciso estar sempre bonita”. Achei válida, fui desafiada e participei da brincadeira sem maiores grilos. (e PONTO)

Teve um grupo mais “dedicado” que levou a brincadeira como uma luta aos padrões de beleza (o que também é bacana, mas tudo é questão de perspectiva) e que usou e abusou das razões pelas quais as mulheres devem se aceitar. E eu achei super bacana também, porque tem gente que sofre bastante com isso e talvez tenha realmente se sentido melhor após ver que todo mundo é igual, que todo mundo tem defeitinhos estéticos.

Mas, como sempre, teve um grupinho que brincou bastante a respeito, como as tirinhas do “Eu vejo gente sem make e isso assusta” ou  “Era bonita mas participou do #nomake #nofilter”.

Particularmente, eu dou muita risada com essas tirinhas de “humor mal-humorado”. Curto mesmo… Dou risada porque me enquadro em muitas dessas situações e acho que se quisermos rir de alguém, que seja de nós mesmos!

Porém, isso dividiu os grupos.

Como sempre acontece com tudo nesse mundão.

Houve gente discutindo sobre os porquês da campanha, houve gente dizendo que é babaquice, houve gente apaziguando com a típica frase “calma gente, é só brincadeira” e houve muita, mas muuuita empresa se aproveitando da repercussão da campanha pra se promover.

O que ninguém percebeu é que, calma aí! Usar muita make, não usar, não sair sem ela, ou sair ao natural SÃO ESCOLHAS! Escolhas essas que não definem o caráter do indivíduo não!!! E essas escolhas não interferem na vida de ninguém a não ser das pessoas que as fazem, então, pra que criticar minha gente!?

Todo mundo tá certo aí! Tudo tem um meio termo!

E pra refletir, deixo uma maquiagem aqui (que foi ideia do maridinho lindo) que carinhosamente batizei de “Make #nomake” com a seguinte pergunta: “Usar maquiagem pra parecer que tá sem maquiagem significa que me amo ao natural ou que não gosto de como sou e queria ter um ‘natural diferente’?”

Juliana-cremonine-no-make

Juliana-cremonine-no-make-1

Juliana-cremonine-no-make-2

Agora fica a dúvida: Será que todo mundo postou fotinho ao natural mesmo?

Hehehe…

Beijoka pro’cês!!!

Sobre a Autora
Juliana Cremonine Maquiadora Profissional

Comentar no Facebook

Comentar no Blog

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *